Somente dinheiro faz um bom jogo?

Posted On Janeiro 21, 2010

Filed under Baú de Games

Comments Dropped leave a response

Todo mundo sabe que hoje em dia, grandes produtoras investem cada vez mais para desenvolver seus respectivos jogos. Cifras quase sempre ultrapassam a casa dos milhões de dólares (ou euros ou ienes, dependendo de qual lado do mundo estão), porém, isso nem sempre é resultado de um bom game no final do processo (“Como os jogos de filmes, ex: King Kong”).

Pensando nisso, produtoras e estúdios de pequeno e médio porte, novas ou não no mercado, sempre seguiram uma linha, digamos assim, mais modesta em relação a investimento e focaram-se em jogos mais “simples” que prima pelo enredo, criatividade e inovação, não para competir diretamente com as majors da área e sim para colocar no mercado produtos que seguem uma linha diferente do que se é produzido. Essa tática, além de obviamente dar destaques para esses estúdios, faz com que os mesmos consigam arrecadar uma relativa quantia de dinheiro e notabilidade.

Mas que jogos são esses que vem recebendo atenção e elogios tanto da mídia especializada e dos fãns de jogos?
Poderiamos ficar até amanhã citando jogos simples mas que prendem o jogador por horas e horas, mas vamos falar aqui dos 3 principais, que ultimamente tem ganhado destaque no mundo dos games.

Machinarium

O primeiro que podemos citar é o jogo desenvolvido pela Amanita Design, Machinarium. No estilo puzzle game e “point and click”, o jogador deverá resolver uma série de quebra-cabeças para ajudar o robozinho a concluir sua missão. Com animações divertidas e desenhos impressionantes, Machinarium, recebeu ótimas critícas mídia especializada, tendo ganhado o prêmio de arte visual no 12º Festival de Games Independentes. O jogo foi desenvolvido em um período de 3 anos, bancado pelos próprios produtores e o seu marketing para divulgação custou “apenas” U$ 1000.

Opinião do Snake in The Box: “Simplesmente maravilhoso! Tudo no jogo é fantástico, os cenários, o enredo, a trilha sonora. Uma coisa vale destacar é a dificuldade do jogo, alguns quebra-cabeças são bem complexos (MUITO!!), sendo necessário ficar um bom tempo pensando como resolver. Porém mesmo assim a diversão não é afetada. Jogão!!”

Plants vs Zombie

O Segundo desta lista é, o divertido e inusitado, Plants vs Zombies. Isso mesmo, plantas vs zumbis. Baseado no melhor estilo conhecido como Tower Defense, o jogador controla um exército de variadas espécies de plantas, que tem como objetivo, proteger a casa de seus donos contra o poderoso ataque de diversos zumbis. Com gráficos e desenhos bem feitos e engraçados, alta diversidade tanto de plantas quanto de “mortos vivos” (que vai desde zumbis mergulhadores até o o zumbi do astro do pop Michel Jackson – uma alusão ao clip Thriller). Desenvolvido pela produtora Popcap, o game recebeu críticas altamente positivas o que o fez figurar entre os jogos mais originais/criativos/inusitados lançados ultimamente.

Opinião do Snake in The Box: “Muito viciante, é um daqueles jogos que você pensa:Assim que terminar essa fase eu paro!! Daí outra se inicia e você repete: Só mais essa!! E por aí vai! Perfeito pra passar o tempo! Jogo leve e divertido, o notebook agradece!”


Braid

Por último e talvez um dos mais aclamados jogos de 2009, Braid. Tudo em Braid é diferenciado e, digamos assim… incomum. O game foi desenvolvido de forma independente por Jonathan Blow e lançado em 2008 para Xbox 360, mas foi com seu lançamento para PC e PS3 em 2009 que sua fama foi alcançada. Com uma história simples (basicamente o “mocinho” tem que salvar a princesa das garras de um mostro. “Bem Super Mario mesmo!”) mas com ótimos desenhos e gráficos e principalmente uma jogabilidade bem inovadora, possibilitando o jogador voltar no tempo para resolver os quebra-cabeças do jogo. Com todas essas qualidades não é a toa que Braid entrou na listas de melhores jogos do ano em várias categorias, o que é um feito e tanto para um jogo independente e que não recebeu oceanos de dinheiro em seu desenvolvimento.


Opinião do Snake in The Box:
“Bem estilo Machinarium, porém mais dinâmico por não ser point and click. Os quebra cabeças são muito inteligentes, e a volta no tempo durante as fases são fantásticas. Incrível como uma idéia tão simples, pode ser tão boa. Braid vai ficar na história!!”

UPDATE: Essa dica chega voando via twitter por @JoaoCP, que lembra que o jogo estará com 50% de desconto na PSN até dia 27 de janeiro. Mais alguma desculpa pra não jogar Braid??

Então esses são as 3 dicas de puzzles-games da equipe Snake in the Box, para quem gosta do gênero. Muitas pessoas já os conhecem, mas para os que nunca ouviram falar, vale a pena dar uma conferida e se preparar para perder algums horas do dia nesses “joguinhos” viciantes.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s